Histórias de sucesso

 

A Cidadela tornou-me na rapariga que hoje sou

2023-01-11

A Cidadela tornou-me na rapariga que hoje sou

Tem actualmente 19 anos e sonha em ser polícia, frequenta a 10ª classe na Escola Secundária Josina Machel, Florinda Flora da Fátima cujo nome completo foi lhe atribuída após a sua chegada na Cidadela das Crianças, é uma jovem que foi acolhida aos seis anos de idade, depois de se ter perdido quando estava na companhia da sua avó, na Manhiça, sua zona de origem.

Afinal, como é que a menina residente no distrito da Manhiça chega à Cidadela? Assim quis o destino que ela não crescesse nos braços dos seus progenitores, segundo a sua narração.

“Vim parar na Cidadela por intermédio do Orfanato 1 de Maio onde permaneci por um curto período enquanto decorriam as diligências para localizarem a minha família”. No início foi muito difícil ter que aceitar viver fora da casa que me viu nascer, porém aos poucos fui superando, não obstante continuar a acreditar que um dia irei reencontrar a minha família”.

“A Cidadela acolheu-me muito bem e aqui aprendi muita coisa, hoje sei fazer um pouco de tudo porque o dia-a-dia é de muita aprendizagem juntamente com outros meninos com histórias semelhantes. Muito cedo aprendi a cuidar de mim como pessoa, a lavar e arrumar a minha roupa, a cuidar de hortas, a pintar, a costurar e outras brincadeiras comuns na infância”.

Mais histórias de sucesso

2024-03-19
Em Pinda, no distrito de Morrumbala, vive Chico António Vicente, de 52 anos de idade, doente de TB e em tratamento há cinco meses.
2023-11-21
Juma Dadi Alua, de 35 anos de idade é nativo do distrito de Muedumbe, na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, viveu a maior parte de sua vida como pescador e agricultor.
2023-11-21
Neste dia dedicado ao empreendedorismo feminino, compartilhamos a história inspiradora de Julieta Arlindo, uma jovem de 28 anos que tomou a corajosa decisão de deixar para trás tudo o que possuía, fugindo dos ataques armados em Mocímboa da Praia, na província de Cabo Delgado.