Isabel Júlia Mucone, estudante da Escola de Professores do Futuro de Maputo

TTC Maputo Isabel3Deve ser dado um papel activo às crianças no processo de aprendizagem

TTC Maputo Isabel alone"O meu sonho foi sempre tornar-me uma professora e trabalhar com crianças. Neste sentido, o meu sonho está agora a tornar-se realidade", revela a jovem de 22 anos de idade Isabel Júlia Mucone durante uma pausa nas sua práticas pedagógicas que estão a decorrer numa escola primária vizinha da EPF de Mauto da ADPP. "Sempre gostei de aprender", especifica. "Gostaria de transmitir a mesma alegria de aprender aos outros."

Há algo na maneira encorajadora como Isabel interage com seus alunos e na curiosidade com que as crianças olham para ela que não deixa nenhum espaço para dúvidas: Isabel está claramente a fazer aquilo em que é competente. De vez em quando, ela senta-se ao lado dos seus alunos para os ajudar a resolver um problema ou um exercício mais difícil. O brilho nos olhos das crianças ao lado das quais ela se senta permanece durante muito tempo após ela se levantar para outro ponto da sala de aula.

"Uma das coisas mais importantes que aprendi durante os meus estudos na EPF da ADPP é que as crianças devem ter um papel activo no processo de aprendizagem", explica Isabel. "Isso é bem diferente do que eu me lembro do meu próprio tempo na escola primária: nós não podíamos participar mas apenas repetir aquilo que o professor dizia."

Isabel diz que muitas vezes deixa os seus alunos decidir sobre os temas a discutir ou o jogo a jogar durante as aulas de Educação Física. Ela também se esforça para ver cada aluno como um indivíduo e adaptar o seu ensino às suas características. "Isso exige muita criatividade e flexibilidade, mas no final compensa muito!”, exclama Isabel, que insiste em captar a atenção das crianças para que elas aprendam melhor.

De acordo com Isabel, os princípios da participação e inclusão também foram integrados nos estudos da Escola de Professores do Futuro. "Todos os alunos têm um papel central no seu próprio processo de aprendizagem. Isso coloca muita responsabilidade sobre os nossos ombros, mas também abre um mundo completamente novo de aprendizagem para todos nós", acrescenta Isabel.

Em 2014, Isabel esteve entre os 541 alunos que seguiram o Programa curricular de formação de professores de 3 anos, implementado em 3 das 11 EPFs da ADPP. "Já estou ansiosa para me formar no próximo ano", diz. "Depois de ter estudado e praticado o ensino ao longo de 3 anos, tenho a certeza que estou preparada para enfrentar qualquer tipo de situação de ensino, seja nas zonas rurais ou na cidade, ou em uma escola com muitos meios ou noutra que ainda não tenha quase nada. É exactamente para isto que estou a ser formada: resolver todos os tipos de desafios futuros e servir como um modelo para a comunidade em que vou trabalhar”.

Rostos - Educação